Destaque, Notícias

Deus conta e tem um plano de amor

No dia 08 de dezembro, a liturgia da Igreja celebra festivamente a Imaculada Conceição da Virgem Maria. Maria é a grande Crente que, abandonada na confiança, se põe livremente nas mãos de Deus. Ela é também o grande modelo de santidade posto para a Igreja que peregrina rumo ao céu: “Maria reflete a Igreja, antecipa-a na sua pessoa e, em todas as turbulências que afligem a Igreja sofredora e fatigante, permanece sempre a sua estrela da salvação. (…) Em Maria, a Imaculada, encontramos a essência da Igreja de modo não deformado.” (Bento XVI; 08 de dezembro de 2005). Para os católicos, este dia é muito importante porque nos diz sobre o amor e a verdade tão preteridos na cultura que nos rodeia. Hoje, o homem é corriqueiramente tentado a viver sob a suspeita de que o verdadeiro amor de Deus cria uma prisão, uma dependência e que se deve a todo custo libertar-se desta prisão com o fim de ser inteiramente ele mesmo, sem Deus.

A Imaculada Conceição da Virgem Maria é um grito que chega aos nossos ouvidos cerrados, apresenta-nos como uma via segura de que a dependência de Deus nos pedirá amorosamente a luta contra o pecado. Nossa Senhora é isenta do pecado original porque Deus a tem como um grande “sim”. Tal isenção não significa somente não pecar, nem muito menos tem uma carga moralista, mas diz sobre a íntegra relação que Ela tem com Deus. Ela deixou-se ser toda entrelaçada por Deus. Aqui encontra-se o coração da mensagem desta solenidade litúrgica.

Devemos olhar para Maria, pois Nela vemos a altura e a beleza do plano de amor do nosso Deus. Um plano a nos tornar santos e imaculados no perfeito amor de Deus (Cf. Ef 1,4). A referida festa mariana em questão é uma espécie de “exorcismo” contra essa falsa mentalidade de felicidade que joga Deus para os lugares privados. Ouve-se com frequência que Deus não está mais na pauta do dia do homem moderno, mas quando nos deparamos com o testemunho humilde e santo da Virgem Maria, nosso coração se dobra e volta a reafirmar: Deus conta, e tem um plano de amor para todos. Queira a nossa existência seguir o exemplo da Virgem Imaculada que jamais desconfiou de Deus. Ela em tudo mostrou-se confiante. Aprendamos com os antigos crentes a tê-La no coração como Mãe que aproxima o céu da terra, e que nossa presença no mundo, junto com Maria, seja um sim a Deus e aos homens. Afinal, sabemos que Deus é a medida da verdadeira felicidade. Para quem crê, Deus sempre conta!