A pedido do Papa, Dom Delson celebra consagração da Rússia e da Ucrânia à Nossa Senhora

No dia 25 de março a Igreja celebra o dia da Anunciação do Senhor, em referência ao dia que o anjo Gabriel apareceu à Maria. Neste dia, o Papa Francisco pediu aos os bispos de todo o mundo, e seus sacerdotes, que se unam a ele na oração pela paz e na consagração e entrega da Rússia e da Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria. Dom Manoel Delson, então, presidirá a celebração às 16h na Catedral Basílica de Nossa Senhora das Neves. Para quem não pode estar presente, a celebração será transmitida através do Youtube e também da Rádio Consolação FM.

“É um momento de tensão no mundo todo e nosso apelo, o apelo do Papa Francisco, é pela paz. As pessoas não podem mais viver o terror das guerras que são fruto de disputas políticas e econômicas. São ações insanas inaceitáveis. Ainda não superamos a fome e a miséria no mundo e as guerras só aumentam o nosso abismo social em busca de uma vida digna e plena para todos”, reflete o arcebispo da Paraíba.

foto: Santuário de Fátima / Portugal

No dia 25, o Papa fará a oração de consagração às 16h no horário de Roma (13h no horário de Brasília, com transmissão via CNBB) e esta não será a primeira vez que o pontífice clama pela paz neste conflito entre Rússia e Ucrânia. No Angelus de 13 de março, o Papa havia convidado toda a Igreja a rezar: “Peço a todas as comunidades diocesanas e religiosas que aumentem os momentos de oração pela paz”. Na audiência geral de 23 de fevereiro, ele pediu um dia de oração e jejum pela paz na Ucrânia na Quarta-feira de Cinzas, dizendo: “Que a Rainha da Paz preserve o mundo da loucura da guerra”. Já no dia 25 de fevereiro, Francisco fez uma visita à embaixada russa no Vaticano e publicou no twitter oficial seu descontentamento com a situação bélica: “Toda guerra deixa o mundo pior do que o encontrou. A guerra é um fracasso da política e da humanidade, uma rendição vergonhosa, uma derrota perante as força do mal”.

O SEGRDO DE FÁTIMA

Na aparição de 13 de julho de 1917 em Fátima, Nossa Senhora havia pedido a consagração da Rússia a seu Imaculado Coração, afirmando que, se este pedido não fosse atendido, a Rússia espalharia “seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja”. Os bons”, acrescentou, “serão martirizados, o Santo Padre sofrerá muito, várias nações serão destruídas”.

Após as aparições de Fátima, vários atos de consagração ao Imaculado Coração de Maria foram feitos: Pio XII consagrou o mundo inteiro em 31 de outubro de 1942 e em 7 de julho de 1952 consagrou especificamente a Rússia ao Imaculado Coração de Maria com a Carta Apostólica Sacro vergente anno, diante da difícil situação dos cristãos forçados a viver em um regime ateu.

Paulo VI em 1964 e João Paulo II em 1981, 1982 e 1984 renovaram esta consagração para toda a humanidade. O Papa Wojtyla, referindo-se ao pedido de Nossa Senhora em Fátima, em 25 de março de 1984, na Praça São Pedro, em união espiritual com todos os bispos do mundo, confiou ao Imaculado Coração de Maria todos os povos e “de maneira especial… aqueles homens e nações que necessitam, particularmente, desta entrega e desta consagração”.

Em junho de 2000, quando a Santa Sé revelou a terceira parte do segredo de Fátima, o então secretário da Congregação para a Doutrina da Fé, arcebispo Tarcisio Bertone, salientou que a Irmã Lúcia havia pessoalmente confirmado que o ato de consagração realizado por João Paulo II em 1984 correspondia ao que Nossa Senhora havia pedido.

Agora, no próximo dia 25 de março, o Papa Francisco consagrará a Rússia junto com a Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria, em comunhão com bispos de todo o mundo.

Comunicação Arquipb com Vatican News