Destaque, Notícias

Pascom organiza coordenação nas Foranias e apresenta novidades para 2020

No último sábado, dia 29, a Pascom da Arquidiocese da Paraíba realizou o Encontro Anual de Formação e Articulação. Na oportunidade, foram apresentadas as novidades para 2020 além da reorganização da Coordenação nas Foranias.

 

O encontro reuniu cerca de 100 pessoas, vindas de todas as 9 Foranias da Arquidiocese. O Pe Moisés Coelho, coordenador arquidiocesano, conduziu o momento de espiritualidade. A formação, ministrada por Márcia Marques, membro da coordenação arquidiocesana, focou na missão da pascom e no perfil do agente desta pastoral. “É uma alegria ver tantos jovens reunidos, cheios de vontade, de paixão pela missão de comunicar. A nossa missão, enquanto pascom, é evangelizar através do serviço da comunicação e da amplitude das nossas atividades. A Pascom da Arquidiocese da Paraíba avança, se organiza e, juntos, vamos conseguir melhorar cada vez mais!”, comenta o Pe Moisés.

 

A coordenação da Pascom atuará diretamente com as Foranias, através dos coordenadores forâneos da pastoral. No encontro, ficou decidido que o(a) coordenador(a) terá um mandato de 2 anos, podendo ser prorrogado por mais dois anos. “Os coordenadores forâneos serão ‘um braço’ da coordenação arquidiocesana, para facilitar a comunicação com as paróquias, facilitando muito a nossa articulação”, explica Pe. Moisés.

 

NOVIDADES PARA 2020

 

A Pascom Arquidiocesana está organizando uma caravana para o 8º Mutirão Regional de Comunicação. Será a primeira vez que a Arquidiocese participará de um Muticom  organizada em caravana. O evento acontece de 3 a 5 de julho na Diocese de Patos e tem como tema “Ambiência digital e cultura do encontro: pensar a comunicação numa sociedade democrática”.

 

Outra novidade é o nascimento da Escola de Comunicação da Arquidiocese. “Não está tudo pronto, mas já adiantamos que a escola terá 3 polos de aulas, visando estar o mais próxima possível de todas as paróquias, além de workshops com aulas isoladas para aqueles que não estarão matriculados no curso completo”, explica Márcia.