Artigos do Bispo, Destaque

O Batismo é sacramento de amor

O tempo litúrgico do Natal encerra-se com a celebração solene do Batismo do Senhor. O Menino Jesus adorado pelos Magos do Oriente na manjedoura de Belém, agora encontramo-Lo adulto, deixando-Se batizar por João no Rio Jordão (Cf Mt 3,13). O céu se abre quando Jesus, ao receber o Batismo, sai das águas. O Espírito Santo desce sobre ele na forma de pomba e uma voz se faz escutar: “Este é meu filho muito amado, no Qual pus toda minha complacência” (Cf Mt 3,17). O Batismo do Senhor torna público o Seu serviço em favor dos homens. O Senhor não pode mais se esconder na vida simples de Nazaré, chegou o tempo de cumprir os desígnios salvíficos do Pai.

 

A partir do Batismo, Jesus se revela aos homens não como um homem importante, mas como o Cristo, o ungido do Pai. Esta unção diz respeito a nossa condição pecadora. O Senhor deixa-Se batizar com os pecadores porque Sua missão é nos levantar. “Deus quis salvar-nos indo Ele mesmo até ao fundo do abismo da morte, para que cada homem, mesmo quem tão em baixo que já não vê o céu,  possa encontrar a Mão de Deus à qual se agarrar e subir das trevas para ver novamente a Luz para qual ele é feito” (Papa Bento XVI). Mas o sacramento do Batismo, destinado a todos os homens e mulheres, não apaga somente os nossos pecados, ele tem a finalidade de nos fazer filhos de Deus. Tornamo-nos filhos no único Filho de Deus. O céu se abre a nós e passamos a ter acesso à vida verdadeira e plena que só Deus pode nos oferecer no Seu Filho.

 

O Batismo é o primeiro dom que Deus concede a quem deixa de ser criatura e passa a se tornar Seu filho. Nas águas batismais, passamos a pertencer ao Senhor, tornamo-nos também filhos da Igreja de Cristo. Portanto, tomar consciência das graças que decorrem do nosso Batismo é também uma grande oportunidade de gratidão a Deus. Ele não nos deixou entregues às garras da morte e do pecado, mas quis estar conosco, fez-se vizinho de nossas quedas para nos levantar; e não importa o tamanho da queda, do quão baixo venhamos a sucumbir, Ele vai em nossa direção. O Batismo tornou-nos próximos e filhos de Deus! Tamanha graça não merecemos, mas Ele quis Se unir à nossa humanidade, simplesmente movido pelo amor, porque nos ama!

Dom Frei Manoel Delson Pedreira da Cruz, OFMCap
Arcebispo da Paraíba