Ano Santo da Misericórdia


 13/12/2015 - Escrito para o Correio da Paraíba

Por que o Papa Francisco proclamou o Ano Santo da Misericórdia e quem ele quer atingir? Entre pessoas, famílias, raças e povos há muita divisão e intrigas. Há muita perda de oportunidades e destruição de seres humanos pelas paixões desordenadas que fervilham em nós e nos dividem. Porém, Deus é Pai de amor que nos envolve no seu amor e perdão misericordioso. O Pai não quer que seus filhos e filhas digladiem-se e se destruam, motivados pelo instinto egoísta de nossa natureza desequilibrada. Jesus trouxe à terra a luz da fé e do amor, superando o ódio e o desejo de vingança. A misericórdia é a iniciativa do Pai que envia o seu Filho, Jesus Cristo, para nos arrancar do poder das trevas e nos conduzir nas sendas do amor, da justiça, da paz de espírito. Ele, o caminho, a verdade, a vida, restaura a comunhão com o Pai entre nós. Pelo seu Espírito, doador da vida e dos dons, supera a ruptura do ódio e da divisão provocada pelo pecado.

A restauração da comunhão de amor com Deus passa pelo amor serviçal aos semelhantes, começando pelos mais necessitados. De forma concreta e efetiva, a espiritualidade cristã remete-nos às obras de misericórdia - perdoar as ofensas, visitar e cuidar dos enfermos, ensinar a quem não sabe, dar de comer e de beber a quem tem fome e sede, acolher e aconselhar os que necessitam e corrigir os que erram, vestir os nus, consolar os tristes, socorrer quem está preso, suportar com paciência os defeitos dos outros, sepultar defuntos, orar pelos vivos e defuntos.

Por falta de esclarecimento, de formação humana e cristã, há muita gente que carrega o peso do sofrimento e o sentimento de rejeição. Não vive em paz porque não se sente amado. Só cobra desatenções, ingratidões. Há muitos que conservam mágoas, ressentimentos de ofensas, calúnias e agressões. Muita gente permanece intrigada, escrava do desejo de se vingar a qualquer custo, usando as armas do inimigo. Sofrem e fazem os outros sofrer. Pessoas, famílias, povos inteiros precisam experimentar sua misericórdia, a compaixão, o perdão, a reconciliação.

A razão iluminada pela fé e pelo amor divino e fraterno constrói a paz, supera ódios, preconceitos, discriminações, racismos, exclusões, vinganças, violências. Essa atitude permanente deve se estender para além do Ano da Misericórdia! Há muito sofrimento nos corações feridos por males inconfessáveis. Jesus incumbe os discípulos de viver e promover a reconciliação. Seja um missionário da misericórdia, cujo ano inicia hoje. Reencontremos no amor misericordioso do Senhor o sentido da vida!


Dom Aldo di Cillo Pagotto, sss
Arcebispo Metropolitano da Paraíba

  •  Endereço: Palácio do Carmo - Praça Dom Adauto, s/n
    Centro - João Pessoa (PB)
  •  Fone:(83) 3133-1000
  •  E-mail: curia@arquidiocesepb.org.br
Twitter

© Mitra Arquidiocesana da Paraíba – Todos os direitos reservados