Meu Reino não é daqui


 22/11/2015 - Escrito para o Correio da Paraíba

Jesus afirma: “meu reino não é deste mundo... Eu nasci e vim ao mundo para dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade escuta a minha voz” (cf. Jo 18, 33 ss). Jesus rejeita a ideia de um poder político, sujeito aos interesses pessoais, às ambições inconfessáveis, às disputas e aos domínios, à busca do prestígio e, sobretudo, do dinheiro. Em outra ocasião, após multiplicar os pães para saciar a fome da multidão que o seguia, Jesus se retirou para orar, pois o buscavam para torná-lo rei. Muita gente pensava de se servir de Jesus para derrubar o domínio dos romanos, para libertar Israel e constituir outro regime sócio-político. Jesus recusou isso tudo. Até os seus discípulos viam Jesus como líder libertador da opressão política e religiosa (Mc. 9, 30-40). Tal mentalidade prevaleceu até após a morte e a ressurreição de Jesus (Lc. 24, 16-21).

Ao se referir ao reino, por várias vezes Jesus utiliza parábolas, metáforas e alegorias, colocando os seus ouvintes e seguidores no centro das decisões. Qual reino você quer construir? Que estilo de vida você vive? Jesus indica o caminho da verdade para os que querem segui-lo. No centro da decisão encontra-se o amor, não qualquer outro projeto de interesse questionável, ainda que legítimo. Os poderes religioso e político confundiram-no como revolucionário e falso profeta. Ambos, por medo de perderem o poder, entregaram-no à morte de cruz. A história da humanidade repete cenários semelhantes aos que Jesus sofreu, porém venceu pela força do amor não violento nem vingativo.

Meu reino não é daqui. Por mais verdadeiro que seja algum projeto político ou religioso, estarão sempre condicionados às interpretações dos atores que se sucedem. Quer se queira ou não, todo projeto humano transforma-se e evolui, ou, inexoravelmente, deteriora-se e se torna outra coisa, bem diferente do original. Hoje experimentamos uma profunda decepção a respeito de determinados projetos políticos que prometeram acabar com a corrupção, com a pobreza, com a violência. O socialismo fictício e real esfacelou-se, comprometido com esquemas que prometia superar de vez. Essa gente não sabe o que fazer com a verdade, com a liberdade, com a fraternidade.

Jesus se fez servo para nos libertar da escravidão do pecado e de todo mal que assola a humanidade. Seu reino de amor, de verdade, de justiça, de graça, de paz, está franqueado a todos os que o seguem pela sua Palavra e pelo seu legado repleto de práticas, exemplos, iniciativas, sempre voltadas à vida em permanente aperfeiçoamento.


Dom Aldo di Cillo Pagotto, sss
Arcebispo Metropolitano da Paraíba

  •  Endereço: Palácio do Carmo - Praça Dom Adauto, s/n
    Centro - João Pessoa (PB)
  •  Fone:(83) 3133-1000
  •  E-mail: curia@arquidiocesepb.org.br
Twitter

© Mitra Arquidiocesana da Paraíba – Todos os direitos reservados