Espiritualidade e Saúde


 23/08/2015 - Escrito para o Correio da Paraíba

As pessoas que cultivam os valores espirituais obtêm múltiplos benefícios na esfera da saúde preventiva e curativa. Isso se dá porque nossa vida é essencialmente constituída de amor. O cultivo dos valores espirituais recria amor pela vida. Amar é exercício, é arte do encontro consigo, com os outros, com Deus, com a sociedade. Amor nutre e cura. Vivido e experimentado concretamente, o amor integra o nosso ser com as atividades comuns, inerentes à vida e à convivência familiar e social.

O amor leva-nos a buscar um sentido para a vida. Por outro lado, experimentamos limitações na nossa própria natureza, a finitude do amor. A natureza favorece-nos com seus imensos bens. Entanto, os bens da natureza são empréstimos de Deus, para que sejam investidos em benefício pessoal e coletivo. São bens finitos e limitados, no tempo e no espaço. Chega o dia em que alcançamos o êxito final da existência terrena. Na vida tudo passa. Essa realidade inexorável deve ser compreendida e aceita pela perspectiva do amor que refaz nossas forças. O amor regenera-nos, sobretudo nos fazendo retomar o caminho do bem.

O amor ilumina nossa índole, capacitando-nos para tomada de atitudes proativas, enfrentando deficiências, contradições, limites. Sentimentos de amor motivam-nos. Inveja, ciúme, raiva paralisam-nos, secando-nos por dentro. Sentimos muitos apelos bons e muitas contradições internas e externas. O amor ensina-nos a equilibrar o bem com as possibilidades de superar os males. Afinal, a vida não é como a gente acha ou quer. Nossa vida é feita de encontros e desencontros, vitórias e perdas, sofrimentos, dores, percalços e algumas satisfações.

A vida corresponde a um aprendizado evolutivo, mais ou menos longo. Devemos seguir o seu itinerário, entre altos e baixos, certezas e dúvidas. Sentimos uma grande necessidade de nos orientar por valores de referência. Da mesma forma sentimos a necessidade de acompanhamento na vida, por pessoas mais experimentadas nos caminhos da existência. Espiritualidade é aprendizado de amor. O amor faz a gente buscar e encontrar. Quem não ama adoece e permanece na morte. Ninguém se julgue invulnerável ante as contradições da vida. Quando Jesus nos ensina a orar ao Pai, ilustra a dinâmica da busca e do encontro: “Peçam e lhes será dado. Busquem e encontrarão. Batam e a porta se abrirá. Pois todo aquele que pede recebe, quem procura encontra, e ao que bate se abrirá (...) quanto mais o Pai do céu dará o Espírito Santo aos que o pedirem! (cf. Lc. 11, 9-13).


Dom Aldo di Cillo Pagotto, sss
Arcebispo Metropolitano da Paraíba

  •  Endereço: Palácio do Carmo - Praça Dom Adauto, s/n
    Centro - João Pessoa (PB)
  •  Fone:(83) 3133-1000
  •  E-mail: curia@arquidiocesepb.org.br
Twitter

© Mitra Arquidiocesana da Paraíba – Todos os direitos reservados