Amor e verdade


 27/12/2014 - Escrito para o Jornal da Paraíba

1º de janeiro, Dia Mundial da Paz. O Papa Francisco faz-se porta-voz do anseio da humanidade, clamando por dias melhores de paz (in www.vatican.va). A paz é um dom e uma missão que o Pai confia aos seus filhos e filhas. Ao tempo em que tentamos superar as formas de egoísmo, construímos ambientes de paz que nascem do amor de Deus e de sua verdade. Da comunhão de amor do Pai nasce a comunhão entre pessoas, famílias e a sociedade. Contraditoriamente, a paz desejada está sempre ameaçada ou negada pelos nossos gestos de egoísmo, orgulho, exploração, prepotência. A paz deve ser continuamente semeada, cultivada, acompanhada de iniciativas. Caso contrário, nossa tendência é enxergar os outros não como colaboradores, mas como inimigos.

A paz é um dom divino, como talento a ser investido para servir à comunidade. A paz é dom e ação do Espírito atuando na humanidade. A paz é também uma missão, uma tarefa que o Pai nos dá, respeitando e coadjuvando a nossa consciência e liberdade. Se aceitarmos criar ambientes de paz, é preciso preparar-nos para enfrentar contradições e desafios. O pior inimigo da paz é o egoísmo que nos leva ao descrédito. Ninguém confia numa pessoa cheia de egoísmo, porque dele brotam as paixões desordenadas. Quando o egoísmo domina-nos, tornamo-nos oportunistas, e daí começamos a tratar os outros como gente a ser explorada, utilizada como objeto de consumo e lucrativo.

Em muitos relacionamentos, jogamos com as pessoas com objetivos e interesses puramente comerciais. A exploração do homem pelo homem é velha como o mundo. Muitos não são tratados como sujeitos de direitos e de deveres, mas instrumentalizados e usados como objetos para toda sorte de arbítrios. A partir desse expediente, enxerga-se o outro como rival ou inimigo potencial, não como irmão colaborador. Superiores aos nossos interesses particulares, o amor e a verdade são os valores referenciais que nos possibilitam construir ambientes de paz. O Salmo 85,11 ilustra esses valores em forma de inteligente e convincente axioma: “amor e verdade se encontram, justiça e paz se abraçam”! Quem nos traz amor, verdade, justiça, paz, é nosso Senhor Jesus Cristo, o princípio e fim da história da humanidade, chamada a viver profundamente esses valores nas estruturas e nos relacionamentos na esfera individual e universal.

Ensejo um próspero 2015, repleto de desafios que deverão ser enfrentados com muita fé e esperançosa coragem, virtudes que pedimos ao Pai nos conceder a cada dia da vida. Por certo enfrentaremos um ano muito difícil ante a crise de valores éticos e dos escândalos administrativos e financeiros. O povo não merecia o mal que lhe fizeram.


Dom Aldo di Cillo Pagotto, sss
Arcebispo Metropolitano da Paraíba




Mais lidos

  •  Endereço: Palácio do Carmo - Praça Dom Adauto, s/n
    Centro - João Pessoa (PB)
  •  Fone:(83) 3133-1000
  •  E-mail: curia@arquidiocesepb.org.br
Twitter

© Mitra Arquidiocesana da Paraíba – Todos os direitos reservados