O sentido da vida


 20/07/2014 - Escrito para o Correio da Paraíba

Amar é gerar vida ao seu redor, fazendo render os talentos legados pelo Criador e Pai. A vida ganha sentido quando cultivada, protegida, expandida, amada, gerando comunhão. É assim que a criação continua o seu curso dinâmico, evolutivo, construindo a civilização do amor.

A vida é uma missão delegada pelo Pai. Depois de nós chegam os outros a quem passamos a liderança! A vida não é tirada nem destruída. A vida é transformada e dinamizada. Na terra a vida passa rapidamente. Nosso aprendizado é permeado de fragilidades e de condicionamentos interiores e exteriores. Temos que ser burilados interior e exteriormente, mas poucos compreendem esse dinamismo construtivo.

O que fazer para aprender em tão pouco tempo tudo o que a vida ensina a construir? Nem sempre aquilo que queremos nós alcançamos e conseguimos. Nem por isso desistimos. Defrontamo-nos com as nossas próprias limitações e a incapacidade de amar sem egoísmo. Experimentamos fracassos, frustrações, contradições. Tentamos mais vezes. Conseguimos algo e deixamos para os outros que vêm depois de nós.

Jesus Cristo experimentou o aparente fracasso humano assumindo sobre si a iniquidade da humanidade e a pregando na cruz. Experimentou o inferno. Enfrentou o inferno demonstrando que o amor extremado transforma o inferno em vida nova, gerando comunhão de liberdade, reconciliando os que estavam separados e divididos pelo ódio. Sua ressurreição devolve-nos o sentido da vida que estava infernizada, estragada, destruída com a morte.

Para os que amam, a vida não é destruída, mas é transformada. Cristo enfrentou a contradição do ódio. Foi rejeitado e excluído do convívio humano. A cruz onde foi pregado, instrumento de morte, símbolo da maldição dos condenados, torna-se lugar de onde se gera a vida nova, a ressurreição. Jesus experimentara a angústia de ser completamente rejeitado pelos homens e abandonado pelo Pai. Experimenta a morte no corpo divinizado. A morte do Filho de Deus gerou vida no Espírito, porque venceu o ódio, com amor. Venceu o inferno, alcançando Vida superabundante, vida plena, vida eterna.


Dom Aldo di Cillo Pagotto, sss
Arcebispo Metropolitano da Paraíba

  •  Endereço: Palácio do Carmo - Praça Dom Adauto, s/n
    Centro - João Pessoa (PB)
  •  Fone:(83) 3133-1000
  •  E-mail: curia@arquidiocesepb.org.br
Twitter

© Mitra Arquidiocesana da Paraíba – Todos os direitos reservados